Embarcações

Voltar ao Início

Embarcações

A embarcação da Classe Raquero, desenvolvida nos estaleiros Polysier (Vigo – Espanha) como alternativa à caravela, com lotação para 6 pessoas, destina-se ao batismo náutico e fundamentalmente aos jovens entre os 6 e os 14 anos de idade.

Numa versão mais avançada, o Raquero possui uma mastreação mais complexa, com trapézio e spinnaker.

A embarcação da Classe Optimist nasceu em Clearwater (Florida – Estados Unidos da América) na sequência de caixas de sabão, já usadas, onde montavam rodas e uma vela, para depois competirem nas ruas desta cidade.

Quando esta competição foi proibida pelas autoridades policiais, Clarks Mills, em 1947, desenvolveu uma embarcação, construída com estes mesmos materiais a que chamou Optimist, para que as crianças passassem a competir no mar.

Nos dias de hoje, o Optimist, recomendado para velejadores entre os 7 e 15 anos de iadade (peso inferior a 65 kg), é construído de madeira, fibra de vidro ou de plástico, com o comprimento de 2,30 metros, com  boca de 1,14 metros,  pontal de 0,47 metros, peso de 35 kg e área vélica de 3,52 m2

Fruto do baixo preço, elevada segurança e estabilidade, o Optimist poderá ser considerado o barco de vela ligeira mais difundido no meio náutico.

A classe Laser, em termos olímpicos, é a mais popular no mundo, que pela simplicidade e baixo preço dos seus barcos, fazem dela a mais popular.

O Laser, é um barco tripulado por um único velejador e fruto da sua construção aerodinâmica permite-lhe ser veloz e planar em dias de vento forte. O seu casco tem um comprimento de total de 4,23 metros, 3,81 metros de comprimento na linha de água e pesa 56,7 kg, o que faz dele um barco de fácil transporte.

Os Canadianos Bruce Kirby e Ian Bruce foram os responsáveis pelo desenvolvimento desta embarcação, chamando-se inicialmente, quando ainda protótipo, Weekender.

Em função da área de vela o Laser subdivide-se em:

Laser Standart (modalidade olímpica masculina), com uma área de vela de 7,06 m2 para ser tripulado por um velejador com mais de 80 kg;

Laser Radial (modalidade olímpica feminina), com uma área de vela de 5,76 m2;

– Laser 4.7 (faz a mudança entre a classe Optimist e a Radial ou Standart).

O barco 420, desenhado pela primeira vez, em 1959, por Cristian Maury, tornou-se bastante popular não só por ter um preço económico, mas também por trazer um novo conceito de navegação à vela ligeira, já que o mesmo é tripulado por uma dupla de velejadores, sem necessidade, obrigatoriamente, de um elevado nível de conhecimentos. No entanto, não faz dele uma embarcação de iniciação. Pode-se dizer que é um barco para preparar velejadores de qualquer sexo que pretendam competir numa classe mais acima, tal como na classe 470.

O seu nome deve-se ao facto de possuir um comprimento de 4,20 metros. Tem, ainda, uma boca de 1,64 metros, um pontal de 0,52 metros, peso de 80 kg e uma área vélica de 10,52 m2.